Etiquetas

, ,

dietrich1939-500pxNuma das canções de adolescência que ainda ouço com emoção, Where Do You Go To (My Lovely), Peter Sarstedt fala-nos de uma paixão que acabou, e descreve-nos a mulher, de alguma forma ideal, onde sobressaem as qualidades: falar como Marlene Dietrich e dançar como Zizi Jeanmaire.
Talvez haja leitores do blog que tenham visto dançar Zizi Jeanmaire e possuam a memória de  como as suas pernas falavam, dizendo-nos da graça, da beleza e do erotismo de um corpo de mulher. Também assim com a Dietrich. Continua a correr mundo a famosa fotografia de promoção de Der Blaue Engel (O Anjo Azul)

onde um grande plano da bela, sentada, nos mostra em perfil a perna dobrada, encaminhando o olhar espectador para onde a promessa de paraíso se esconde.

Não é das pernas de Marlene Dietrich que a canção nos fala, do que também valeria a pena,  mas da sua voz, afinal o pretexto para esta divagação.

Pouco mais haverá a dizer sobre as contraditórias emoções que ouvi-la provoca. Em dia de maior disponibilidade, deu-me para registar a emoção provocada por uma sua interpretação de Johnny, wenn du Geburtstag hast, que hoje aqui revelo.

ouvi-la cantar

“Johnny wenn du geburtstag hast”

acariciar o microfone

a voz rouca

de um desejo guardado

a ponta do dedo que aflora, pressiona

e o volume cresce

c r e s c e

c  r  e  s  c  e

ah!

acabou

 

vi, ouvi, senti

senti a mão acariciar-me a alma

suave e intensamente

fazendo crescer um desejo que a ausência acumulou

 

lembro-a, o braço estendido

vestido branco

o carro que se afasta

e a felicidade que fugiu

 

talvez para sempre

A canção Johnny, wenn du Geburtstag hast foi escrita por Frederick Hollander, famoso compositor berlinense de canções de cabaret.

O texto reporta-se a uma interpretação de Johnny, wenn du Geburtstag hast no New London Theatre de Londres em 1972, quando a Dietrich tinha a voz da experiência de uma vida de sedução. Embora abundem no youtube excertos deste concerto, a todos falta a interpretação /pretexto desta divagação emocionada.

Termino com a canção de abertura: Where Do You Go To (My Lovely) e a respectiva letra que, julgo, dispensa tradução, ou mesmo elucidação dos personagens e lugares nela referidos.

You talk like Marlene Dietrich
And you dance like Zizi Jeanmaire
Your clothes are all made by Balmain
And there’s diamonds and pearls in your hair, yes there are
You live in a fancy apartment
Of the Boulevard Saint-Michel
Where you keep your Rolling Stones records
And a friend of Sacha Distel, yes you do
But where do you go to my lovely
When you’re alone in your bed
Tell me the thoughts that surround you
I want to look inside your head, yes I do
I’ve seen all your qualifications
You got from the Sorbonne
And the painting you stole from Picasso
Your loveliness goes on and on, yes it does
When you go on your summer vacation
You go to Juan-les-Pins
With your carefully designed topless swimsuit
You get an even suntan on your back and on your legs
And when the snow falls you’re found in Saint Moritz
With the others of the jet-set
And you sip your Napoleon brandy
But you never get your lips wet, no you don’t
But where do you go to my lovely
When you’re alone in your bed
Won’t you tell me the thoughts that surround you
I want to look inside your head, yes I do
Your name, it is heard in high places
You know the Aga Khan
He sent you a racehorse for Christmas
And you keep it just for fun, for a laugh a-ha-ha-ha
They say that when you get married
It’ll be to a millionaire
But they don’t realize where you came from
And I wonder if they really care, or give a damn
Where do you go to my lovely
When you’re alone in your bed
Tell me the thoughts that surround you
I want to look inside your head, yes I do
I remember the back streets of Naples
Two children begging in rags
Both touched with a burning ambition
To shake off their lowly-born tags, so they try
So look into my face Marie-Claire
And remember just who you are
Then go and forget me forever
But I know you still bear the scar, deep inside, yes you do
I know where you go to my lovely
When you’re alone in your bed
I know the thoughts that surround you
‘Cause I can look inside your head
(na na-na-na na na-na-na na-na na na na na)
(na na-na-na na na-na-na na-na na na na na)

 O artigo foi antes piblicado no blog em Abril de 2012.

Advertisements