É conhecida dos leitores habituais do blog a minha paixão pela pintura de retrato. Na possibilidade de olhar o outro que a pintura de retrato proporciona, encontro o prazer de inventar para os retratados personalidades, gostos e maneiras de ser, que sendo sem correspondência com os observados, dão às pinturas uma vida que outros assuntos não permitem.

Há semanas chegaram ao blog retratos de algumas beldades do século XV. Do que cada retrato me inspirou não contei. Deixei a cada visitante o prazer desse exercício. Prometi regressar com as feias. Eis algumas.

Mulheres poderosas no seu tempo, talvez tenham sido belas, mas os retratos que delas nos chegaram não o deixam perceber. Imaginai, no entanto, leitor, como seria despertar pela manhã e encontrar na almofada ao lado semelhantes rostos. O resto vai por aí.

Para as leitoras, qualquer que seja a beleza do seu rosto, o espelho da realidade parece não trazer limites e permitir que quando perguntado: Há mulher mais feia que eu? O espelho responda sempre: Sim!

Eis a pintura que o comprova.

Nota sobre as pinturas

Como é habitual, os nomes dos ficheiros identificam as retratadas, basta passar o cursor sobre a pintura e o nome surge.

As imagens podem ser vistas ampliadas fazendo click sobre cada uma.

Anúncios