Etiquetas

,

Julio - Espera 1930Saúl Dias pseudónimo como poeta de Júlio Maria dos Reis Pereira (1903-1983), irmão de José Régio, viu a sua obra como poeta ficar escondida na sombra gigantesca do irmão, sobressaindo a sua obra plástica. Nesta  (assinada Júlio) há, sobretudo nas aguarelas e desenhos, uma magia e um quase pudor que desencadeia uma imensa ternura. Não assim nos óleos até aos trinta anos onde a crueza do mundo, na agressividade do colorido se impõe.

É na linha desta pintura onde a magia dos desenhos e aguarelas espreita, o poema Café, de 1934 suponho, que mais à frente transcrevo.

Julio - Aspiracao 1926 Por entre os vapores etílicos 

as garrafas dos álcoois e absintos,

em garbos áticos,

oferedam viáticos…

 sonha-se o amor:

julio - A menina e o poeta

 

E ela vem sempre /como naquela hora / estranha, delicada / e debruada a encanto.

Julio - Menina

Café

 

Quando,

à hora do Jazz,

a minha cabeça rola

pelo tecto pintado do café.

a parede em frente é uma visão de escola

onde um menino de bibe e gola

sonha com aquilo que não é.

 

E até os criados

têm ares purificados

como ascetas dum branco ritual.

E os mármores das mesas,

Com desenhos obscenos,

surdinam várias rezas…

 

E as garrafas dos álcoois e absintos,

em garbos áticos,

oferedam viáticos…

 

E há toalhas brancas e há velas acesas!

 

E ela vem sempre

(só a cabeça dela,

que o corpo

perdeu-o, porventura,

nalgum escuro quarto de aluguer).

Ela vem sempre,

Como naquele dia,

serena e amavia,

única e excepcional.

 

O pianista

comeu os dentes do piano

e canta, de pernas para o ar,

uma canção azul.

O violinista adormeceu de pé numa cadeira

e o violino dá som sem ninguém lhe tocar.

 

E ela vem sempre

como naquela hora

estranha, delicada

e debruada a encanto.

Pura como a água, suave como um manto.

 

O dia é Dia Santo…

 

Termino com uma pequena amostra da pintura de Júlio (dos Reis Pereira)  onde ora a influência de Chagall ora a influência de George Grosz se observa.

 

A qualidade e resolução das imagens é a possível entre o material que circula na net, e infelizmente é muito baixa.

 Julio - À janela 1923

 

Julio - Nocturno 1929

 

Julio - O Velho e a menina

 

 

Julio - O burguês e a menina 1931Julio - Serie poeta tinta da china 1960

Julio - Nocturno 1927Julio - Serie poeta Aguarela

 

Anúncios