Ainda vão a tempo os leitores que se sintam com gosto, dotes culinários, e destreza na cozinha, para experimentar esta receita tradicional da zona de Tavira, no Algarve, e que a minha mãe, aos quase oitenta e seis anos ainda faz para nós e para oferecer ao longo do mês de Dezembro, cobiçadas que são por quem as provou.

A receita é simples, pode demorar dois ou três dias a concluir-se, mas não receeis, compensa a espera.

Tomai então a receita, pois broas, apenas virtuais vos posso oferecer, e aqui ficam na foto.

Broas da Mãe

Broas da mãe

 

Ingredientes

1kg batata doce

1kg de açúcar

200g de miolo de amêndoa pelado e moído

200g de côco ralado

4 colheres de farinha bem cheias

Raspa de 4 tangerinas

4 gemas de ovos de galinha

 

Preparação inicial

Cozem-se as batatas doces em água.

Quando cozidas retira-se-lhes a pele e esmagam-se com garfo.

Nota importante: este polme de batata doce cozida deve ficar bem seco. Se necessário deixar ao ar a secar, mesmo de um dia para o outro.

Pelar o miolo de amêndoa: numa tigela de cerâmica ou barro vidrado coloca-se no fundo o miolo de amêndoa com pele. Sobre ele despeja-se água a ferver suficiente para cobrir a amêndoa. Aguarda-se que arrefeça um pouco até conseguir meter a mão sem queimar, e apertando cada miolo de amêndoa entre os dedos faz-se o miolo saltar da pele.

Retirada a pele de toda a amêndoa, passa-se está por água fria, seca-se com um pano e pode ser moída num qualquer moinho eléctrico tipo 1,2,3.

 

Execução da massa

Põe-se o açúcar com água (pouco mais de 1/4 litro) ao fogo até formar ponto pasta. Pode ser-lhe acrescentado a raspa da tangerina.

O ponto pasta, neste caso, atinge-se quando o açúcar começar a fazer espuma e ao retirar a colher com que se mexe uma vez por outra, permanece na colher, sem escorrer, uma fina película de açúcar.

Também pode juntar à batata doce a raspa da tangerina em vez de a acrescentar ao açúcar.

Atingido o ponto do açúcar, sem tirar do fogo acrescenta-se a batata doce esmagada e bem seca (se a batata estiver com alguma água faz o açúcar perder o ponto e já não recupera).

Sempre mexendo deixa-se ganhar um pouco de fervura.

Quando borbulhar, acrescenta-se pouco a pouco, mexendo sempre, a amêndoa pelada e ralada, o coco ralado e a farinha. Podem ser previamente misturados os três.

Quando a mistura, ao mexer, fizer rua no fundo do tacho, está pronta.

Retira-se do fogo, espera-se que a massa arrefeça um pouco e acrescentam-se as gemas, mexidas com um garfo, não batidas.

Leva-se de novo o preparado ao fogo, mexendo, para secar um pouco a mistura e cozer as gemas.

Retira-se do lume para uma vasilha baixa e larga, onde se espalha a massa e se deixa arrefecer de um dia para o outro. Pode ser no frigorifico.

 

Tender as broas

Com as mãos molhadas em água tendem-se pequenas broas que se dispõem num tabuleiro de ir ao forno untado com gordura e polvilhado com farinha.

Pincelam-se as broas por cima com gema de ovo.

Cozem em forno baixo até ficarem com ligeira côr. Dependendo dos fornos devem pôr-se as broas no forno ligeiramente aquecido, 160 graus centígrados ou pouco mais. Cerca de um quarto de hora deve ser suficiente para as broas ficarem cozida e moles.

Divirtam-se.

Anúncios