Os jovens agora nos setenta e mais anos tiveram na adolescência, como todas as gerações, aventuras, amaram, mas sobretudo viveram o nascimento do que hoje conhecemos como musica pop.

Para lá do rock n’roll, surgiram nessa época as musicas que permitiram socialmente, e pela primeira vez em séculos, ao dançar, sentir as curvas do corpo do par.

Foram aquelas canções melodiosas, que ainda hoje comovem qualquer alma sensível, a operar o prodígio, e foram elas, também, o motor de tantas aventuras amorosas por esse mundo. Há anos alguém se interrogava sobre quantas crianças tinham sido concebidas ao som da voz de Frank Sinatra. É um pouco o mesmo com estas outras canções de que falo.

Umas são arqui-conhecidas e não vou ocupar espaço do blog com elas. Deixo, por isso, algumas que conheceram um menor favor das gerações seguintes.

Sobre os interpretes a Wikipedia fornece informação extensa e fiável. Vamos por isso às canções.

My Future Just Passed na voz de Carmen McRae, gravada em 1955 e saida no LP Torcky

It’s almost tomorrow – primeiro o sucesso de 1955 com os seus criadores: The Dream Weavers

e a seguir a voz quente de Jo Stafford também sucesso, embora menor, em 1955.

Por fim Pretend com  a versão que Eileen Barton cantava quando nasci.

Pretend you’re happy when you’re blue

It isn’t very hard to do

And you’ll find happiness without an end

Whenever you pretend.

Remember anyone can dream

And nothing’s bad as it may seem

The little things you haven’t got

Could be a lot if you pretend

You’ll find a love you can share

One you can call all your own

Just close your eyes, (s)he’ll be there

You’ll never be alone.

And if you sing this melody

You’ll be pretending just like me

The world is mine, it can be yours, my friend

So why don’t you pretend?

Anúncios